Saiba como o enforcador pode ser positivo

SOU CONTRA O USO DE ENFORCADORES NO TREINO DE CÃES, é um fato.

E tenho levantado a bandeira do não uso de enforcadores há anos, sendo uma das precursoras no Brasil neste sentido. Entretanto, nos últimos anos tenho observado o quanto o extremismo (seja em qual área for) pode levar a ignorância e, como tal, fazer um desserviço.

Há 15 anos atrás aprendi a adestrar usando o enforcador como ferramenta de ensino de exercícios de comunicação básica (senta, deita, fica, vem …) dentro de um esquema de punição positiva + reforço negativo para forçar os cães a executarem exercícios que podem, tranquilamente, serem ensinados de forma divertida e sem nenhum desconforto aos cães. Então, abandonei a ferramenta.

MAS O ASSUNTO DESSE POST é sobre o seu USO COMO FERRAMENTA DE SEGURANÇA ADICIONAL aos equipamentos anti-tração como a Coleira Cabresto (Gente Leader) e a Peitoral de Treinamento (Easy Walk) para cães de médio e grande porte que são reativos e ou agressivos e, que em caso de escapes podem provocar sérios danos a outros cães e pessoas. É um “plano B”.

Por que o enforcador? Por que não uma coleira fixa? Por que não aqueles extensores de guia?

Vamos lá:

  1. Pura e simplesmente por não serem tão seguros como o enforcador será em caso de um escape ou rompimento do equipamento principal (coleira cabresto ou peitoral anti- tração). Já aconteceu comigo de guias ou coleiras arrebentarem, e não quero que ninguém passe por isso, e muito menos que meus cachorros sejam atacados por outros que acabaram de se soltar das mãos de seus tutores.
  2. Porque em casos como os apontados acima não devemos “dar chances para o azar”. Quando isso acontece o saldo pode ser a morte de outro cão ou pessoa. Sei que é da responsabilidade daquele que conduz o cão mas até que os fatos sejam apurados em nosso país, muitos acidentes já terão acontecido. E como formadora de opinião segurança é prioridade para mim.
  3. Porque não adianta ter uma filosofia positiva se não pensarmos em todos ao nosso redor. E reforço caso ainda não tenha compreendido: a utilização se dá como um equipamento de segurança, apenas. Ele não é usado como enforcador. Por não ficar fixo como uma coleira tradicional ele não prejudica a eficiência do equipamento anti-tração e ainda é muito eficaz em caso de acidentes.
  4. E por fim, não confio 100% em nenhum desses equipamentos. São tantas as possibilidades (equipamento afrouxar, equipamento com ajuste errado, trava que se quebra, mosquetão que se solta) que não podemos arriscar.

Tem dúvidas? Poste aqui e vamos conversar mais sobre este assunto.

Deixe um comentário

Subscribe to our creative news & articles We will be emailing you the updates.
Inscreva-se.


pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese