Já estamos em 2019 mas ainda é comum encontrarmos guias curtas à vendas em Pet Shops, sites e, mesmo sendo recomendadas por adestradores. Mas por qual motivo?

Falta de conhecimento. Falta de compreensão acerca dos comportamentos naturais da espécie em questão. O que um cachorro precisa para ter uma vida com qualidade? Quais são os anseios de um cachorro durante o passeio?

São vários! E vou apontar os que conheço e peço que se conheceres outros não apontados aqui que os relate nos comentários desse post, por gentileza.

Fabricantes

Só posso imaginar que a fabricação de guias curtas ainda exista pela falta de compreensão acerca das necessidades básicas que os cães possuem por parte dos responsáveis pelas empresas fabricantes.

Muitos estão no mercado pet por ser promissor e não por serem pessoas apaixonadas por cachorros, que convivem com vários e até mesmo que tenham estudado sobre o assunto através de fontes seguras.

Também, pode acontecer da empresa buscar assessoria comportamental com profissionais que fazem uso de metodologias ultrapassadas e ainda focadas nos cães de guarda, o que vou abordar logo em seguida.

O fato é que uma guia longa pode muito bem ser encurtada. Mas uma guia curta não tem como crescer e promover + liberdade ao cachorro. Então, salvo se o objetivo é uma guia apenas para condução de um ambiente a outro em um hotel ou canil, guias curtas não se justificam.

Qual o tamanho mínimo que uma guia pode ter para valer a pena existir?

Penso que um metro e meio. Esse seria o tamanho mínimo “basiquete” pelo qual vale a pena gastar matéria prima e produzir mais produtos nesse planeta, certo? Porque com esse tamanho a condução de cães que realmente possam provocar algum dano a terceiros, cães agressivos e ou reativos, se dará com o mínimo de liberdade necessária para alcançar o focinho no chão e fazer aquilo que é básico dos cães: farejar. Também vai ser possível fazer as necessidades sem que estejam sendo puxados por uma guia. E quem sabe, se dar ao luxo de uma interação com qualidade.

Qual tipo de cachorro precisa de uma guia curta?

Alguns cães podem mesmo precisar fazer uso de guias bem curtas, mas dentro de um metro e meio é possível aliar maior segurança e um mínimo de qualidade de vida. Cães agressivos e alguns tipos de cães reativos requerem o uso desses equipamentos que promoverão maior controle por parte dos tutores. Mas se o seu cachorro não é um desses dois grupos, e nem é um cachorro de polícia a trabalho, então, não há motivo para mante-lo sem liberdade.

De onde vem a cultura da guia curta?

O adestramento tradicional, aquele que tem como foco principal treinar cães para guarda e proteção, que ainda fazem uso do enforcador como equipamento principal de treino e de passeio é um dos principais responsáveis pela manutenção desse tipo de equipamento e, infelizmente, é comum ver profissionais orientando seus alunos a não permitirem que os cães farejem durante o passeio e, muito menos, que andem sem ser ao lado, como numa condução de um cachorro de polícia e a trabalho.

Caramba! Cães de polícia andam ao lado do condutor (o policial) porque estão trabalhando. O policial está em um trabalho onde o animal é uma ferramenta. Não se trata de um passeio de lazer. O policial vai utilizar a arma com a outra mão e tudo que ele menos precisa é ter que se preocupar com o cachorro nesse momento. Agora, o que isso tem a ver com o seu cachorro que é um Pet e está em um passeio?

Nas linhas modernas de treino de cães o bem estar do animal vem em primeiro lugar, e desde a criação dele dentro de casa a sua condução e exposição a ambientes públicos é sempre pensada de forma a oferecer o máximo de oportunidades de interação com o meio ambiente. Nessas novas correntes, a qual estou inserida, o passeio é para o cachorro. Ele não está a trabalho e não tem que andar ao lado e privado de todos os seus anseios, e desde que não incomode ou gere danos a terceiros ele vai poder ter contato com outras pessoas, cães e, também, vai poder farejar muito!

Criadores e veterinários também poderiam evitar o uso de equipamentos inadequados instruindo seus clientes ao básico no que se refere a condução dos cães, afinal, são os primeiros a terem contato com os novos tutores mas, inacreditavelmente, deixam a desejar, em maioria. Porém, vou deixar esses dois agentes para outro post evitando que este aqui se torne um livro.

Se esse texto te ajudou ou mexeu com as suas referências acerca do passeio com o seu cachorro eu já fiquei feliz e sinto que atingi o meu objetivo. Precisa de ajuda com o seu cachorro? Você pode entrar em contato por aqui para agendar a sua consultoria virtual. Te espero!

Quer saber quais equipamentos utilizar? Fica ligado aqui que estou produzindo outro post para você, e vale deixar as suas dúvidas nos comentários.

Deixe um comentário

Subscribe to our creative news & articles We will be emailing you the updates.
Inscreva-se.


pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese